domingo, maio 06, 2007

Uma página de Vida

Fechou a porta, e com ela... uma página de vida!
Era Outono e o vento soprava de leve, deixando no ar um cheiro a terra molhada.
Não se lembrava da ultima vez que tinha sentido aquele aroma, a mesma fragância e de como o céu era belo, pintado num misto de ocre e amarelo!
Ficou alí, minutos, horas... uma eternidade, talvez, se pudesse... ficaria assim pra sempre, tatuando aquele momento! Perguntava-se vezes sem conta, o que tinha deixado pra trás!?
A resposta... ontem, hoje e amanhã seria sempre a mesma. Entre ela e aquela porta, nada restou do que nunca existiu... uma página de história, sem letras ou reticências... apenas uma folha em branco!
Os finos raios de sol que timidamente espreitavam entre as nuvens, queimavam-lhe o rosto... um rosto cansado, marcado, gasto por uma ausência de vida, de um saber sentir.
Seria porque o destino assim o quis?
Ou porque ela nunca teve tempo, para o tempo?!
Respirou a brisa que a beijava suavemente... olhou a rua que se perdia no olhar, e com uma sensação estranha, sorriu... sim, sorria ao hoje e a um amanhã!
Quando tinha sorrido pela última vez?

Alexandra.

1 comentário:

Solaris disse...

Li o teu texto. De facto a vida pode assemelhar-se a um livro cheio de páginas que contam histórias. E de cada vez que se fecham as portas outras terão de ser abertas - por imposição da sua própria continuidade; e de cada vez que se vire uma página, não se encerra o ciclo - encerra-se, quando muito, um capítulo!
Gosto deste espaço cheio de letras que tocam a alma da gente!
Parabéns!