quarta-feira, novembro 18, 2009

Fado meu...

Beija-me como se amanhã não houvesse!
Depois,
Encosta a porta e deita-te comigo.

Colhe os segredos que semeaste

neste ventre de terra esquecida

quão subtilmente aprisionados na tua pele
Tu, que invades a minha Lua

meu doce pecado, eterno fado meu.

Partilha comigo o sonho de Morpheu

porque a noite é feitiço nos teus braços

(Desejo casto dos meus lábios..)

é perfume desfolhado de melodia
cinzelado docemente um dia.

Alexandra.

3 comentários:

Anónimo disse...

Por ela gostar de rosas..
Por ela gostar de rosas..
Todas que vejo a meu peito prendo
mas as dela que amo, mais formosas,
sao mais belas, como é bela quem defendo.

E os seus espinhos ferindo o meu coração..
Sao mais doces, por sua beleza e ternura
Estão cravados neste sangue, nesta paixão
Desde que a vi, linda, imaculada e pura.

E por ela gostar de rosas, lhas ofereço
com todo o amor.. toda a minha emoçao,
sabendo que é ela a mais linda, e mereço

Ter eternos seus beijos com uma dedicaçao
de amor para sempre, nas flores lhe peço,
apenas por gostar de rosas e ela não.

Alano

Anónimo disse...

* Caminho assim de pé pisando as plantas
* e vou ouvindo, procurando a flor linda
* mas o som me tolhe e flores sao tantas
* que me perco na voz que nao amo ainda.

* E ela era tão meiga suave e cristalina
* como a água da sua boca que eu bebia.
* Bem te ouço agora ribeira doce menina
* saltitando com o Sol, o brilho fazia

* em teus cabelos humidos e eu maresia
* como água ribeira corrente pequenina
* que meu beijo duma pedrinha escorria.

* A tua voz bem te ouvi no meu sonhar
* e as tuas letras são a água a passar,
* e quero te tanto e não quero acordar.

Alano

@lexis disse...

Vim "roubar" esta foto, fiquei a ler o poema. Li uns quantos e fiquei fã.

(Perdi a coragem de "roubar"...)