quarta-feira, janeiro 10, 2007

O Sol nas noites.. e o Luar nos dias!

De amor nada mais resta que um Outubro
e quanto mais amada mais desisto...
quanto mais tu me despes, mais me cubro
e quanto mais me escondo mais me avisto.

E sei que mais te enleio e te deslumbro
porque se mais me ofusco mais existo!
Por dentro me ilumino, sol oculto
por fora te ajoelho, corpo místico.

Não me acordes... estou morta na quermesse
dos teus beijos... etérea, a minha espécie
nem teus zelos amantes a demovem.

Mas quanto mais em nuvem me desfaço
mais de terra e de fogo é o abraço
com que na carne queres reter-me jovem!

*Natália Correia*

1 comentário:

Zinha disse...

truz..truz..:)

ainda que sem pedir licença.. sei que a porta esta aberta..

Do amor muito se diz.. se canta.. se poema..

Sente muito , vibra e sobretudo continua a acreditar no amor.. porque no deserto dos sentimentos.. é o bem que nos resta..

para ti ..
alguem que do amor.. escreve como ninguem..

..-Bastava-nos amar. E não bastava



Bastava-nos amar. E não bastava

o mar. E o corpo? O corpo que se enleia?

O vento como um barco: a navegar.

Pelo mar. Por um rio ou uma veia.



Bastava-nos ficar. E não bastava

o mar a querer doer em cada ideia.

Já não bastava olhar. Urgente: amar.

E ficar. E fazermos uma teia.



Respirar. Respirar. Até que o mar

pudesse ser amor em maré cheia.

E bastava. Bastava respirar



a tua pele molhada de sereia.

Bastava, sim, encher o peito de ar.

Fazer amor contigo sobre a areia.

Joaquim Pessoa..

um beijo com carinho

Maria..(Melodi@)